UNESC reforça time de professores com mestre e doutorando potiguar

Marco Aurélio Vasques (esq.) coordenador acadêmico da UNESC ao lado do professor e mestre Kim Mansour Yano (dir.)

Faculdade se preocupa com sua relação com comunidade e torna mais robustos projetos com integração social

O Campus da UNESC em Vilhena confirmou nesta semana a chegada do fisioterapeuta e professor, Kim Mansour Yano, doutorando em Neurologia e mestrando em Neuroengenharia, formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Ele irá comandar o setor de fisioterapia da instituição de ensino, além de participar dos projetos de extensão que a Faculdade vem desenvolvendo em prol da comunidade.

O professor e coordenador acadêmico da UNESC em Vilhena, Marco Aurélio Blaz Vasques, relata que a instituição realizou uma revisão de todos os cursos oferecidos e anunciou que 2019 será um ano de realizações para a faculdade. “A UNESC na vanguarda do desenvolvimento educacional, visando aprimorar cada vez mais a qualidade de seus cursos está investindo em estrutura para formar profissionais capacitados às mais variadas realidades exigências do mercado de trabalho, e também na relação com a comunidade, afinal de contas a ciência existe para melhorar a qualidade de vida das pessoas”, disse.

A instituição de ensino está ampliando as estruturas físicas em Vilhena justamente para aumentar sua capacidade de atendimento. “A faculdade definiu focos em suas regiões de atuação. Em Vilhena o foco será a saúde, mas ainda assim temos outros cursos que também irão receber toda atenção e estrutura necessárias”, comenta o coordenador acadêmico. Em Vilhena, a UNESC oferece as graduações de Direito, Ciências Contábeis, Engenharia Agrícola, Engenharia Ambiental, Engenharia da Computação, além dos cursos voltados à área da saúde, notadamente: Medicina, Fisioterapia, Enfermagem, Biomedicina, Farmácia, Educação Física e Radiologia.

Uma das grandes novidades que a UNESC trouxe para Vilhena foi a execução de cursos acadêmicos interconectados com a comunidade. Isso acontece através de projetos integradores, na utilização de espaços públicos com objetivo de conectar o universo acadêmico à realidade local de modo que as pessoas possam se envolver mais proximamente com a faculdade.