Mês da Mulher terá programação especial no TJRO

Combate à violência doméstica e ações de reflexão estão entre as atividades

Como vem fazendo nos últimos anos, o Tribunal de Justiça de Rondônia fomenta ações de reflexão com relação a questão de gênero e, sobretudo, o combate à violência doméstica – consequência mais drástica do machismo na sociedade – como forma de lembrar o 8 de Março, Dia Internacional da Mulher. Como instituição de promoção e difusão de direitos humanos, o Poder Judiciário procura articular uma programação que desperte na sociedade uma consciência para o respeito à mulher e seu importante papel social.

O Mês da Mulher no TJRO terá desde o agendamento concentrado de audiências de casos de violência até programação voltada para a saúde e bem-estar da mulher como palestras, atividade física e apresentações culturais com temática de gênero.


Semana da Paz em Casa

Na campanha Semana pela Paz em Casa, adotada pelo TJRO desde 2015, em todas as comarcas do estado, entre 11 e 15 de março, concentrarão audiências de casos de violência doméstica e júri de feminicídio. A ideia é dar resolução rápida aos processos, impedindo que as vítimas continuem sofrendo com agressões físicas e psicológicas de seus companheiros.

Ações de conscientização também estão sendo programadas pelas comarcas como palestras, distribuição de panfletos, pedágios de conscientização e entrevistas em meios de comunicação locais.

Todas as ações são acompanhadas pela Corregedoria-Geral da Justiça, que fiscaliza e alimenta as informações para o banco de dados do Conselho Nacional de Justiça.


10 anos de Abraço

Na capital, a semana da Paz em Casa terá um motivo de comemoração a mais, pois o exitoso projeto Abraço completa 10 anos com registros de ótimos índices, baixíssima reincidência e, principalmente, o papel de referência em todos país como projeto efetivo de combate à violência doméstica.

“Em encontros nacionais, o Abraço é sempre citado como pioneiro, eficaz e exemplar. Tanto que muitos buscam informações para implantar ações como a do projeto também em seus estados”, esclarece Aline Dantas, chefe do núcleo psicossocial do Juizado de Violência Doméstica.

Para o coordenador de Mulheres, juiz Álvaro Kalix Ferro, que defende em seu mestrado de direitos humanos justamente o Abraço como forma de combate eficaz a violência doméstica, o projeto é sucesso porque combate as causas da violência, que é o machismo arraigado na cultura. “Muitos homens não aprenderam o respeito, por isso repetem padrões geracionais”, acrescenta.

O Abraço trabalha com educação de agressores, que, ao invés de prisão, são obrigados a frequentar grupos de terapia coletiva. Durante 10 sessões obrigatórias eles são conscientizados sobre temas como ciclo da violência, sexualidade, lei Maria da Penha, relação com álcool e outras drogas, autoestima, história de vida, entre outros.

O projeto, também, contempla as mulheres agredidas, que ganham apoio e empoderamento nas reuniões, tornando-as mais fortes para conseguir sair do ciclo da violência. O projeto tem, comprovadamente, disseminado a paz nas famílias, independentemente da decisão dos casais de permanecerem juntos ou se separarem.


Saúde e bem-estar

Outras atividades da programação são voltadas à saúde das servidoras. No dia 1º, a Caminhada do Judiciário terá como tema “Mulheres do Poder”, em alusão ao Poder Judiciário, mas também ao empoderamento da mulher. A ideia é convidar a todos os participantes, das diversas comarcas, a praticarem a atividade física e vestirem roxo ou lilás, cores que lembram a luta da igualdade de gênero e o combate a violência contra a mulher.

No dia 8, Dia Internacional da Mulher, o Departamento de Saúde do Tribunal de Justiça proverá duas palestras, também, voltadas para a saúde e o bem-estar dos servidores: a palestra “Alimentação desintoxicante para a Mulher Moderna” será ministrada pela nutricionista Leonice Antunes Andrade, e a palestra “Aprenda a preparar sucos funcionais e leites vegetais” será proferida pela dermacista do Ibeco/SP, Acácia Dantas, especializada em alimentação vegana (Instituto Viva Jacareí/SP) e pós-graduada em Planejamento Educacional (Universo/RJ). A programação contará com coffee-break oferecido pelo Sinjur.


Cultura e consciência

A parte cultural da programação ficará por conta da exibição de filmes com a temática da violência doméstica para os grupos de homens e mulheres do projeto abraço. A sessão pipoca, como foi batizada, conta, ainda, com debate com os participantes ao final, a fim de promover a cultura da paz.

Um show artístico também está sendo acertado com músicos locais para apresentar o musical Chiquinha Gonzaga; compositora talentosa que, em sua época, enfrentou muitos preconceitos apenas por sua condição de mulher. A pianista Llitsia Moreno e a cantora Aldenice Bento são as convidadas para apresentação voltada ao público interno do TJRO.

Fonte: Assessoria de Comunicação Institucional TJRO