Ex-aliado chama Japonês de fraco, critica sua assessoria e diz que prefeito não tem pulso

Caetano Neto, advogado

Caetano Neto relatou que o grupo de Rover e Goebel está “travestido” de Japonês

O advogado Caetano Neto, que nos últimos dias estampou as manchetes dos principais jornais do estado de Rondônia por ser o autor do pedido de impeachment contra o governador Marcos Rocha (PSL) deu uma entrevista na rádio Positiva de Vilhena, nesta semana, no programa a Hora da Tarde onde criticou veementemente o prefeito Eduardo Japonês (PV).

Caetano foi um dos homens de frente da campanha de Eduardo e disse que o prefeito é fraco e não tem pulso firme para tomar suas decisões. “Ele pode até ser interessado, mas é fraco, sua equipe é muito ruim e não é funcional”, atacou.

Neto disse, ainda, que Japonês não é prefeito de fato uma vez que, segundo seu entendimento, não pode tomar decisões sozinho, precisa conversar com sua equipe e pedir autorização do deputado estadual Luzinho Goebel (PV) que foi criador da campanha de Eduardo, e seu padrinho político.

Ainda sobre o engessamento do mandato de Eduardo, Caetano Neto disse que o ex-aliado não tem poder pra exonerar ninguém.

Continuando sua crítica, o advogado do impeachment, disse que o grupo do ex-prefeito Zé Rover (PP) e de Goebel (Caetano acredita que o ex-prefeito e o deputado pertencem à mesma equipe política) está travestida de Eduardo Japonês.

“A namoradinha do Zé Rover é nomeada na Câmara (de vereadores); a dona Lisângela (ex-secretária de Assistência Social) é nomeada no gabinete do deputado Luizinho; O ex-secretário de educação de Rover também é. Eles cuidam de grupos, se protegem. São como moscas nas fezes”, dispara.

O causídico vem defendendo a ideia de que é necessário um terceiro viés na política de Vilhena para que o cenário esteja mais abrangente, proporcionando à população mais opções que possa gerenciar a prefeitura.

Questionado sobre a possibilidade de ele mesmo ser candidato, Caetano negou interesse, mas defendeu o nome do empresário Jaime Bagattoli (PSL) que foi candidato ao Senado nas últimas eleições e por pouco não emplacou sua vitória.