Prefeito propõe aumento a servidores da saúde…

Eduardo Japonês, prefeito de Vilhena

…de trabalho. Projeto de lei foi lido oficialmente na câmara de vereadores

A sessão da câmara de vereadores do município de Vilhena foi quente na noite desta terça-feira, 17. Isso porque o prefeito Eduardo Japonês (PV) mandou projeto de lei à casa para aumentar o número de plantões dos servidores da saúde de 12,5 para 14 mensais de 12 horas, além de acrescer plantões mensais de seis horas nas unidades de saúde.

Alguns servidores foram até o auditório da prefeitura – onde estão sendo realizadas as sessões – no intuito de pressionar os parlamentares a fim de não levar adiante a proposta do prefeito. Com interrupções constantes por parte dos presentes, o vereador Ronildo Macedo (PV) presidente do legislativo, teve que apelar a pedidos de ordem para que a sessão pudesse continuar.

Em que pese o fato de o projeto estar em fase de leitura na câmara de vereadores, os profissionais da saúde não aceitam a proposta, queriam, inclusive que ela fosse rejeitada antes de entrar para leitura. Alguns vereadores como, por exemplo, Leninha do Povo (PTB), Tabalipa (PV) e Subtenente Suchi (Podemos) foram contrários à proposta de imediato.

Em sua fala na tribuna, o vereador Samir Ali (PSDB) defendeu o prefeito Eduardo e o secretário de saúde, Afonso Emerick, dizendo que o objetivo da matéria era poder proporcionar mais plantões extras aos técnicos e enfermeiros, não aumentar o número de plantões.

O vereador tucano relatou que o formato como o texto fora apresentado à casa realmente dava a entender que se tratava de aumento de jornada de trabalho, e que por essa situação era contra o projeto. “Do jeito que foi encaminhado não tem como aprovar”, disse.

Vereadores que conversaram com a equipe de reportagem do site Gazeta Amazônica relataram que o a proposta “vai morrer no ninho” caso não seja reformulada.